quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

alem do espaco uma viagem no tempo

o ar condicionado do matsyagandha express, terceira classe ac, e a noite cerrada não nos deixou perceber o sul. da janela do comboio vimos as silhuetas dos primeiros coqueiros a desafiarem o por do sol, mas depois tudo se apagou numa escuridao infinita e o ac da carruagem fazia sempre o mesmo ar frio e com sabor a metal. quando chegou a estação de margão abrimos atabalhoadamente as portas do comboio entre os tropeções das malas e da excitação da chegada. eram duas e quinze da manhã. mas não foi isso que os ponteiros do relógio branco da estação quiseram marcar na nossa chegada. foi a quentura e o doce do ar. o cheiro a selva e a perspectiva de que iriamos mergulhar no verde. 
goa. outra índia. fala português nas esquinas das ruas. ouve-se uma guitarra e qualquer coisa de fado em panjim.

estamos numa goa!

matsyagandha express mumbai-goa

no mesmo dia da chegada a mumbai ansiávamos pela confirmação da reserva deste comboio para goa. foi até à ultima e quando nos disseram que não, lá a india nos trocou as voltas novamente e conseguimos dois lugares em terceira classe.
a ultima casa comboio de uma viagem à índia. foram os mais longos 749 km, nas mais longas 12 horas a 77 km por hora. mas foram feitos com bom animo e com boa companhia.
foi um final feliz que evitou a loucura de um autocarro ou o preço em euros de um avião. 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

m em jaipur

jaipur-mumbai super fast express

a nossa primeira classe num comboio das indias. uma viagem de 18 horas que atravessou dia e noite e do norte fez sul.
a pouca-terra tanta-terra de 70 km por hora (superfast!) lá fizemos os 1159 km com ar condicionado e lençois india rail.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

back to the pink city

estávamos certos que o regresso a jaipur nos trouxesse de novo o alvoroço de uma grande cidade indiana, logo esta, a capital do rajastão. no entanto, tivemos sorte com o hotel e conhecemos quem nos apresentou a cidade numa calma impermeável no dia seguinte. 
o mossin levou-nos no seu rickshaw aos must de jaipur. 
e lá nos rendemos ao amber fort. se o taj é sublime o amber fort e a  imponência.
e conquistou-nos toda a manhã como uma brilhante tela de fundo que se vai tornado real.
os elefantes enquadram-se magistralmente neste cenário das mil e uma noites.
jaipur, jaipur a surpreender-nos com palácios e fabulas. 
a perder-se de vista quando, do templo dos macacos, onde nos sentimos demasiadamente humanos, assistimos ao por do sol.
surya namaskar.
hari om!

um minuto na india

video

domingo, 18 de dezembro de 2011

h em pushkar

setimo ceu

se foi o setimo nao o sabemos, mas era um pequeno paraiso que nos aconchegou durante toda a estadia.
uma excelente entrada, pessoas muito acolhedoras, um restaurante delicioso e muitos espacos chill out. e a musica... sempre boa musica.
e como tudo na india tambem a vista sagrada, sagrada, sagrada.

pushkar, que encanto!

um oasis perfeito no inicio do grande deserto do rajastao. 
cidade sagrada que deve ser visitada pelo menos uma vez na vida pelos hindus. resumindo, tudo floresce a volta de um lago. 
mais de quatrocentos templos e dezenas de hoteis, um bazar com artesanato fantastico e uma das festas mais conhecidas do mundo por reunir a maior concentracao de camelos na india. 
foram dias a deslizar e de uma paz inesquecivel.